Anulação da EGR – Discovery TD5

Publicado por em 3 de Setembro de 2013

Se ainda não leu a introdução a este artigo, pode fazê-lo aqui.

A EGR (do inglês, Exhaust Gas Recirculation, ou em português, recirculação de gases de escape) é um sistema desenvolvido para diminuir a emissão de gases poluentes, e faz parte de todos os carros modernos.

Mas exatamente o que faz a EGR?
Este válvula controla a entrada de ar para o motor (o ar utilizado na combustão), e seleciona entre ar ‘fresco’ ou mistura entre ar fresco e gases que são enviados para o escape e, em algumas ocasiões, recirculados para esta válvula. Em teoria, se o sistema estiver a funcionar corretamente, quando estamos em baixa rotação e sem exigir esforço, é utilizada uma mistura entre ar fresco e gases de escape para diminuir as emissões, mas quando ‘carregamos no acelerador’ e pedimos potência, a válvula encarrega-se de apenas introduzir ar fresco no motor para que a combustão seja a melhor possível.

A maior parte dos utilizadores que decide anular a EGR reporta, após a alteração, notar diferenças no desempenho…ora isto só  é possível se a válvula já estiver tão suja que restringe a entrada de ar para o motor. Os sintomas deste problema são falta de potência quando em esforço.
No meu caso, a válvula EGR deveria estar ok, uma vez que pedi a sua limpeza numa das últimas intervenções efetuadas na oficina, mas como o Disco 2 ainda vai ter de ficar cá por algum tempo, decidi retirar este sistema para que o ar a entrar para o motor seja sempre limpinho!

Como sempre, pesquisei muito e vi vários KITS, acabando por me decidir pelo KIT da Alive Tunning. É, aparentemente, um KIT robusto, bem construído e com materiais de qualidade.

Os passos descritos neste pequeno tutorial podem ser utilizados com qualquer KIT de anulação da EGR, mas todas as fotos são do KIT da Alive Tunning.

O primeiro passo é remover a proteção acústica do motor, através de três parafusos (dois do lado esquerdo e um do lado direito). Na última foto, do lado direito, à frente, já se vê a válvula EGR que irá sair.

De seguida, retira-se a proteção plástica existente na frente, soltando os quatro pinos:

O próximo passo é soltar o tubo de vácuo que está ligado no topo da EGR (no caso dos modelos 2002 em diante, além deste tubo no topo deverá existir um tubo do lado esquerdo, em baixo, que também tem de ser retirado). Uma vez solto, e para não entrarem impurezas lá para dentro, utilizei um pequeno parafuso para ‘fechar’ o buraco.

Agora vamos soltar a EGR, removendo os quatro parafusos que a seguram ao coletor.

De seguida removem-se os dois parafusos que seguram o tubo que faz a recirculação dos gases de escape, e solta-se a abraçadeira metálica que segura o tubo que liga ao intercooler. Agora já podemos desencaixar o tubo da EGR.

Agora resta-nos soltar os dois parafusos que fixam o tubo ao coletor de escape e a EGR já pode ser removida.

Nas fotos seguintes pode-se ver o sistema já removido do carro. Como é visível, apesar da limpeza recente, já se vê bastante ‘lixo’ agarrado às paredes da EGR, e também no tudo de entrada de ar.

Agora está na altura de ‘desembrulhar’ o KIT da Alive.

Com tudo pronto, vamos agora passar à instalação das novas peças. A primeira a entrar é a peça para ‘tapar’ a ligação ao coletor de escape. A peça pode ser colocada de quatro formas, mas olhando para a peça original é possível ver um pequeno recanto no canto inferior direito, e como tal coloquei a nova peça exatamente na mesma posição.

De volta ao lado direito do compartimento do motor, instala-se a peça fornecida com a junta para assegurar vedação conveniente (aqui utilizam-se os parafusos originais).

A instalação está terminada. Para impedir o sistema de gestão do motor de atuar nos tubos de vácuo, vamos desligar a ficha para que o sistema ‘pense’ que o carro não tem válvula EGR instalada. A ficha encontra-se na zona por trás do reservatório de líquido refrigerante. Uma vez solta, foi tudo isolado e preso para assegurar que nada se solta ou anda a bater.

E pronto, instalação terminada, e válvula EGR removida.

29 Responses to Anulação da EGR – Discovery TD5

  1. Angel

    Muito obrigado. Muchas gracias por tu fantástico tutorial en un idioma que puedo entender fácilmente. Gracias a él me he animado a suprimir la EGR de mi Discovery Td5, siguiendo al pie de la letra tus instrucciones. Y no ha habido ningún problema gracias a tus magníficas explicaciones. Ahora noto el coche mucho mejor a bajas revoluciones y en las salidas. Saludos cordiales.

    • Pedro Machado

      Obrigado pelo comentário, Angel.

      É bom saber que os artigos conseguem ajudar realmente alguém.
      E sim, apesar de teoricamente não conseguir encontrar grande explicação, a verdade é que também noto o carro um pouco mais solto.

      Abraço e bons passeios.

  2. ALTAF ISSA TAIBO

    perfeito muito obrigado

  3. ALTAF ISSA TAIBO

    UMA GRANDE AJUDA PERFEITO

    • Pedro Machado

      Ainda bem que foi útil. É sempre positivo vermos a partilha de conhecimentos a funcionar!

      Abraço,
      Pedro Machado

  4. Rui Santos

    Queria um v/ conselho se faz favor.

    Comprei um Discovery de 98 com 72 000 Kms (tem mesmo ), mandei instalar um turbo de geometria variavel e um intercooler para ter mais força. Tudo da Allisport. Penso que o mecânico retirou a valvula EGR. A principio, teve dificuldade nas afinações, depois, lá atinou. Agora fui a Lisboa com o veículo para o testar.

    Deita fumo nos arranques, nas subidas em que é preciso puxar mais e………………gasta mais 1,5l do que estando de origem. Não ganhei nada e o fumo na Inspecção, quase me tramava…

    O que aconselham que eu faça ao veículo? Será por não ter valvula? Afinação errada? Como o instalador não é especialista nestas andanças, sera só afinação?

    Cmps

    Rui Santos

    • Pedro Machado

      Olá, Rui.

      O seu Discovery é um 2? Pergunto porque como não menciona nada de mexida na centralina e fala em “afinações”…

      Ao retirar a válvula EGR, é normal que o carro faça um pouco mais fumo a baixa rotação. Tipicamente (a baixa rotação) parte dos gases de escape eram recirculados…agora sem EGR vai tudo para fora.

      Mas a maior causa do fumo deve dever-se às outras alterações que efetuou. Não alterou nada na centralina (se for um discovery 1 isto não se aplica)? Ou seja, não tem reprogramação da mesma?

      Quanto a gastar mais…nos carros onde se mexe na centralina, se andar ao mesmo ritmo, tipicamente o consumo até diminui, mas o que também acontece é que temos tendência para abusar mais no pedal do acelerador que o carro puxa bem, logo acabamos por gastar mais.

      Mas se está a fazer tanto fumo, então ou a afinação da injeção de combustível está mal feita (no caso de ser um Discovery 1) ou é a programação da centralina que está também menos bem conseguida (se for um Discovery 2). Em todo o caso, acho que era melhor consultar um mecânico diferente, nem que seja para ter um segunda opinião.

      Abraço.

  5. Rui Santos

    Boa Noite:

    Obrigado pela resposta. É um 300 Tdi de 1998. Não tem centralina…sistema antigo.

    Depois do que disse, penso que deve ser má afinação da injeção de combustível.

    É estranho é ter mais força “em baixas” e não se notar nada de mais força “em altas”.

    De qualquer modo, vou procurer modificar admissão de combustível uma vez que continuo a ser

    cuidadoso “com o pedal”.

    Obrigado

    RS

  6. Beto Priolli

    Pedro,bom dia .Seu tutorial é ótimo mas fiquei com uma dúvida.Se desligarmos a ficha conforme você fez não iremos prejudicar os freios?Os outros tubos de vácuo não são para eles?No meu carro foi retirada a EGR e apenas desconectaram o azul e fecharam a tomada com um plug.No Nanocom as vezes aparece código de falha na EGR(acho que 04)eu apago mas acaba voltando.(Disc2TD5 2001)Abçs.Beto

    • Pedro Machado

      Olá, Beto.

      Os tubos que são desligados são apenas os que comandam a válvula EGR e mais nada.
      Quanto a aparecer no Nanocom…isso deve estar a acontecer porque tem a ficha ligada. Ao desligar essa ficha, o “computador” vai achar que o carro é modelo sem EGR e como tal, não tenta atuar a mesma nem dá erro por estar tudo desligado.

      Abraço.

  7. Beto Priolli

    Pedro,obrigado pelo comentário,mas é que vendo no Discovery2.co.uk ele não desliga a ficha alegando que pode prejudicar o freio(travão).Meu inglês é péssimo e achei que tinha entendido que as duas conexões que vão até o sistema de vácuo do sistema de freio seriam comandadas pela centralina através desta ficha.Vou tentar desligar a mesma e ver se os códigos do Nanocom acabam.Abçs.

  8. Pedro Machado

    Olá, Beto.

    No site que indica (discovery2.co.uk) o que ele menciona é para não desligar mais tubos de vácuo que não seja o azul…Ou seja, além daquele azul que se desliga, o carro tem outros, mas esses é melhor não mexer.
    Da ficha em si ele não mencionada nada. Supostamente o desligar da ficha não é necessário, serve apenas para o sistema ‘achar’ que não tem EGR e nem tentar atuar sobre ele, mais nada.

    Abraço.

  9. Beto Priolli

    Boa Pedro,acho que vc matou a charada,de qualquer forma tenho acompanhado no Nanocom e o código de falha não apareceu mais e por conta disso não desliguei a ficha.Aproveitando a mensagem vc sabe onde posso encontrar algum material com parâmetros relativos as informações do Nanocom para que eu possa saber se meu carro esta dentro dos padrões esperados. Abçs.

  10. António Pires

    Olá Pedro boa tarde,
    coloquei um kit de substituição da EGR o que foi um grande pincel porque um dos parafusos do colector de escape estava calcinado.
    Hoje fui testar o carro na auto estrada e o carro não desenvolve.
    Para chegar aos 100 custa e depois não passa dos 110/120.Já ontem quando terminei o trabalho, notei algo estranho porque custou a subir a minha rua o que ele fazia em 3a. e a desenvolver.
    O que poderá ser? Se calhar e melhor voltar atrás e colocar de novo a EGR.
    Obrigada e um abraço.
    A.Pires

    • Pedro Machado

      Olá, António.

      Isso não me parece que tenha algo a ver com a EGR…não terá ficado nada solto? (ao mexer para remover a EGR podes ter desligado algum sensor ou um tubo qualquer…).

      Senda falta de força…estará o turbo a funcionar corretamente? Vê a ligação ao intercooler…não vá algo ter-se soltado.

      Abraço.

  11. António Pires

    Olá Pedro boa noite,

    Foi na realidade o tubo que une o colector de admissão ao intercooler que se soltou.
    Não quis gastar mais 70€+IVA num kit de tubos de silicone. O tubo de origem já deve estar ressequido com o tempo e o calor e não tem muita flexibilidade para esticar e entrar na gola que substitui a EGR. Esta também não tem o rebordo que não permite ao tubo fugir com muita facilidade (erro meu ao comprar deveria ter reparado nisso).
    Obrigado pela resposta.
    Abraço

    • Pedro Machado

      Olá, António.

      Eu também já aprendi (após me ter acontecido algo do género) a ir controlando o estado dos tubos. É de fácil substituição e, apesar de não serem baratos, tê-los em condições pode evitar dores de cabeça.

      Abraço.

  12. Américo Pereira

    Boa noite Pedro,
    Tenho notado uma perda de potencia no meu disco td5 a baixas rotações, vou analisar a egr para ver se não está entupida.
    De qual quer forma deixe-me expor uma dedução que tive ao ver a sua publicação, acho que não é necessário aplicar o kit. Posso estar errado mas, pelas imagens acho que basta desligar a ficha electrica e retirar o tubo de vácuo, assim a válvula não vai abrir quando estamos em baixo regime e entra sempre ar limpo. Estarei errado?

    • Pedro Machado

      Caro Américo,

      pode fazer como indica, mas…se fizer assim a válvula da EGR vai lá estar, e se estiver suja, o ar não vai circular tão facilmente como ter lá apenas o tubo de passagem.
      Sinceramente não sei é se a posição de “repouso” é totalmente aberta ou fechada…ou seja, ao desligar o sistema e controlo com o carro desligado como vai estar a EGR? Eu não sei. Só indo ler ao RAVE…

      Abraço,
      Pedro Machado

  13. rike

    a minha skoda 1.4 tdi 75cc esta com a valvula lixada vou utilizar estes passos pois noto uma ligeira diferença na carrinha em termos de força e quando calco o esticao de puxar e maior com a valvula avariada ja nao esta la a fazer nada apenas vou comprar uma nova pra altura da inspeçao pra nao ter stress o kit nao e dificil de fabricar eu mesmo em casa o faço brigada por este post

  14. Manuel Ramos

    Boas,

    Antes de mais, obrigado pela descriccao do processo com fotos, sempre uteis.

    E provavelmente uma pergunta parva, mas porque nao apenas desligar o cabo electrico do sensor? Desta forma nao ficaria sempre fechada a valvula?

    Obrigado pela resposta!
    Saudacoes LR

    • Pedro Machado

      Olá, Manuel.

      Como indica, poderíamos apenas desligar o cabo elétrico, mas a verdade é que é sempre melhor remover tudo.
      Por um lado, ao trocar o sistema da EGR por um tubo, estamos a colocar uma peça que permite maior circulação de ar, acima de tudo está limpa (tipicamente a EGR enche tudo de um “carvão”).

      Por outro lado, existem alguns relatos de utilizadores que apenas desligaram o cabo como indica, e com o passar do tempo a peça da EGR parte (ou fica com pequenas fugas) por onde saem gases de escape a ferver para a zona do motor, plásticos…não é bonito, e pode até ser perigoso, por isso é sempre recomendado colocar a “blanking plate”.

      Mas como lhe digo, pode fazer apenas o que indica e tudo deverá funcionar.

      Abraço,

  15. Diogo

    Boa tarde,

    Já fez a anulação da EGR no Freelander TD4? Estou a pensar fazer mas tenho algumas dúvidas em relação aos kits que estão à venda e à intervenção que se deve fazer! O que desligar de electrónica e se será necessário substituir os tubos de origem pelos de silicone?!

    Abraço

    • Pedro Machado

      Olá, Diogo.

      Nunca fiz no Freelander, mas o processo deverá ser similar. Só olhando agora para o esquema de como a EGR funciona no Freelander para perceber o que é preciso desligar ou não.
      Mas existem kits à venda, e que suponho tragam instruções detalhadas como o kit para o Discovery trazia.

      Abraço.

  16. joao

    ando com a fixa da valvula desligado a muito tempo sera que com a passagem do ar limpo para o colector o mesmo vai acabando por ficar limpo

    • Pedro Machado

      Viva.

      Limpar a sujidade acumulada apenas com o passar do ar…é complicado a meu ver. O “carvão” fica agarrado às paredes e não acredito que seja apenas com a passagem de ar que se resolve.

      Abraço.

  17. João Pinto

    Bom Dia Pedro Machado,
    Tenho um Defender 110 TD5, centralina original, faz fumo preto.
    Já andei por diversos mecânicos e nenhum resolveu o assunto definitivamente, andam todos a apalpar, digo a apalpar visto já ter mudado diverso material, tais como:
    Turbo, intercooler, Tubos de admissão, sensor massa de ar e Filtro de ar.
    Retirei a válvula EGR e o fumo continua na mesma.
    Agora dizem que tenho de mudar as anilhas e o ringue dos injectores bomba.
    Não sei se valera a pena, pretendia a sua opinião ou de alguém que aqui tenha tido o mesmo problema.
    O carro tem 275 mil Km, uso óleo Motul 5/30 100% sintético.
    Em 15 mil Km consome +/- 1litro de óleo
    Já não sei que fazer, para resolver este problema.
    Se puder ajudar, agradecia.
    Cumprimentos
    João Pinto

    • Pedro Machado

      Olá, João.

      Antes de mais, desculpa na demora na resposta. Já conseguiu resolver o problema? era o quê?

      Honestamente não faço ideia o que pode ser…fumo preto acho que indica combustível a mais a entrar para a mistura…ou ar a menos. Ou seja, acho que pode indicar que a mistura não está a ser bem feita para a combustão, agora de onde será o problema não faço ideia. O carro anda bem, ou sente a prender quando carrega no acelerador?

      Abraço.

    • Luiz Alberto Malta Priolli

      João. Experimenta mexer na regulagem dos parafusos dos balancins. A fabrica recomenda fechar tudo e abrir uma volta. Vc pode abrir mais um pouco(+/- 1/4). Deve parar a fumaça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*